« Home | Quero Mais Brasil » | Hedonismo - Questão Social » | Hipocondria Ambiental » | Meu voto é nulo e eu não sabia! » | "O JURO CIVILIZADO" » | Política e o Coeficiente Eleitoral » | A esquerda contra-ataca » | Crítica à Esquerda Brasileira » | Precisamos de um governo corrupto » | Argentina Na Copa »

Feche os olhos e acredite

Vocês leitores devem ter sentido falta do texto escrito por Carlos Eduardo e que deveria ter sido postado aqui no dia treze de agosto. Coincidentemente data do aniversário do mesmo. O autor pede desculpas pela falta e promete a publicação do mês de setembro.


Feche os olhos e acredite


Dentro de tudo aquilo que estamos habituados a acreditar o propósito aqui é escrever um pouco sobre aquilo que é mascarado pela simples crença no sagrado.
A sabedoria popular já resume nosso papo ao afirmar que política, religião e futebol não se discutem. Mas em minha opinião não é bem assim. Política já foi assunto de outros textos, futebol é assunto para todas as rodas de pessoas regadas a cerveja e religião é o tema que dedico essas preciosas linhas.
As religiões, as crenças, não são naturais do homem, estão presentes em todas as sociedades porque atendem a uma necessidade do homem de entender, explicar ou dar sentido a vida. Um homem conseguirá viver facilmente sem religião, um homem criado em meio a lobos não adorará um Deus, mas os homens ao criarem o mundo precisam se apoiar em algo mais sólido que sua simplória existência, por mais paradoxal que isso seja.
Se todas as sociedades criam uma religião, criam explicações para seu viver, porque é tão difícil enxergar que a sua crença leitor é só mais uma e não é melhor ou pior que a de ninguém? Há segmentos de determinadas religiões que por acharem que estão mais pertos de Deus e por se considerarem detentores da verdade se acham melhores que as outras pessoas. Parece-me um grande erro, porém, encontro erros maiores.
Acreditar que tudo aconteceu fielmente como está escrito na bíblia me parece completa inocência ou excesso de fé. Se eu fosse contar para você leitor exatamente como foi meu dia ontem. Gastaria as vinte e quatro horas de hoje narrando. Isso é impossível, qualquer narração é uma seleção de fatos. Nenhuma narração está livre de ponto de vista ideológico. Qualquer um que tente relatar um acontecimento vai inconscientemente tentar entender o que aconteceu e o que motivou aquelas ações levando em conta o que enxerga em seu dia-a-dia. O caráter sagrado parece estar à cima de qualquer explicação de coisa construída por homens igual a nós. Por que a Bíblia estaria fora dessas leis gerais de todos os livros tendo sido escrita ainda por vários autores?
Tudo bem se você ainda confia em tudo que está escrito por acreditar que ouve a mão de Deus guiando cada um dos apóstolos. Agora, confiar que a Igreja Católica não deixou embutido todos os seus interesses em suas ações e manteve a verdade com as mais belas intenções e o mais puro sentimento de amor ao próximo já é demais. Uma instituição que possuía o monopólio do saber (clero vem de clérigo: aquele que sabe ler e escrever em latim), que era detentora de grande parte das terras da Europa numa época onde terra era sinônimo de riqueza, que era a mais poderosa instituição que dava apoio ao poder sobre o povo, que rezava missas em latim com padres de costas aos fiéis, que dominava uma população miserável e analfabeta, que queimava os corpos daqueles que a questionava, tinha plenas condições de moldar os fatos ao seu modo e garantir sua existência com facilidade.
Imagino eu que você leitor já deva estar um pouco perturbado e considero que é a melhor hora para você começar a se questionar, pois tomar algo como normal e inquestionável só porque é anterior a nós não me parece nenhum pouco sensato. Perco-me nesses enganos e vou cada dia mais além nas minhas dúvidas. Onde está Deus naquelas coisas injustificáveis e que foram totalmente criadas pelo homem? Após milhões de mortes na segunda guerra, sem a menor necessidade, os EUA lançam duas bombas atômicas matando milhares de japoneses. O que explicaria algo desse tipo? Onde está Deus diante disso tudo? O continente africano é dividido entre potências européias que pensam ser as donas do mundo, territórios repartidos ignorando completamente todos aqueles que vivem ali, exploração completa e independência tardia que gera inúmeros conflitos e uma lamentável miséria. O mundo fecha os olhos a tudo isso esperando o que? Que os céus façam algo por nós?
Tratei três amplos assuntos e percebo que me perdi um pouco em minhas próprias idéias, porém, a essência é perceber que nem tudo que acreditamos é inquestionável, que podemos colocar em cheque até nossas mais profundas convicções e temos total controle do mundo que criamos enquanto homens e podemos melhorar nossas vidas sem ficar esperando alguém agir em nosso lugar.




Confesso que que tornei amplo demais o assunto desse texto mas foi na tentativa de fazer do mesmo o mais questionador possível.

[estava eu a estudar filosofia esta manhã.. o q falava? quase do mesmo assunto do texto =P! (incrível coincidencia).]
entao, imaginemos uma tribo primitiva...a partir do momento q eles criam, por exemplo, um deus da chuva. este deus foi criado apenas pq n conseguiram uma explicação racional logica para justificar pq chove..por isso acreditam q qdo cai uma tempestade imensa eh pq o tal deus da chuva está perturbado com alguma coisa! se dps eles descobrem q chove pq a agua passa por um constante ciclo (ok, constante ciclo eh redundância, mas tá), eles vao aos poucos deixando d acreditar nesse tal deus da chuva.. eh como augusto comte diz: a introdução da razao faz com q o poder do mito seja destruído. quando se deixa de acreditar num mito eh sinal d q o espírito está amadurecendo.
quanto ao q o marcelo disse, eu concordo sim.. isso n eh nada mais nada menos do q filosofar. eu, por exemplo, desde pititinha ia à igreja aos domingos e tudo mais.. dps, fui vendo q a igreja n eh o melhor jto deu exercer minha fé.. eu acho mto mais proveitoso ir à uma creche por exemplo, e ajudar os garotinhos a desenhar.. isso n significa, d forma alguma, q eu deixei d ser católica.. eu soh estou praticando a minha religiao do jto q me pareceu melhor!
outro ponto: religiao eh discutível sim! claro! o q acontece normalmente, eh q qdo vc está a discutir algo no ql vc acredita cegamente, vc passa a colocar juizos d valor no meio do seu argumento (tem uma reportagem interessante sobre o processo q ocorre no seu cerebro qdo vc discute coisas como religiao ou politica na ultima ou penultima superinteressante..vale a pena!) daí surge a idéia d q minha religião eh melhor do q a sua!
nossa, falei demais... nem tem conclusao na minha fala.. mas eh..seu texto fico bom marcelo.. o assunto eh bastante polemico. interessante escolha..
(tchauzinho =P)

O tema eh interessante, ao passo que eh intrigante.
Mas nao concordo, em muito com o que o autor diz.

Estou sem tempo, mais tarde passarei aki para comentar melhor.

o marcelo prometeu, eu nao...ele q se vire mes q vem

Eu sempre falei sobre isso com vocês (principalmente com você Marcelo).

Fui criado com lobos.

Certo, Ygor conta aí o que você discorda. O texto ficou mal escrito mas os argumentos quanto ao que foi dito são bastante sólidos.
Rafinha, aí estão nossas idéias .. hehehehe.
Betânia há alguns pontos interessantes sobre o que você pensou. Não podemos cair no erro também de acreditar na ciência para explicar tudo, se a religião é apenas uma criação , a ciencia é o que além disso ?! A super q vc está falando é a dos superpoderes do cerébro !?
Cadu vc agora é federal mlq tem tempo pra escrever aqui sim. Minha palavra que está em jogo.

Marcelo,
Concordo quase plenamente com teu texto, mas deve-se ter cuidado para não cair num "etnocentrismo religioso às avessas". Suas críticas foram todas construídas e embasadas com excelência, mas não se pode ferir a crença alheia. Cuidado.
O único ponto do qual discordo é quando dizes que crer plenamente na bíblia pode ser "excesso de fé". A menos que você entenda "excesso de fé" como "manipulação ideológica". Como dizia Descartes, só existe quem pensa. Quem não pensa...
E, do que dissestes sobre o comentário da Betânia, concordo também, e faço similar aviso. É certo que a ciência é criação do homem bem como o mito, mas não se pode dizer que são "farinha do mesmo saco" por causa disso. Isso já tende a um niilismo que eu particularmente evito.

B,
Só um comentário: cuidado com Comte. A introdução da razão NÃO faz com que o mito seja destruído, e dizer que "quando se deixa de acreditar num mito eh sinal d q o espirito esta amadurecendo" é MUITO evolucionista!

não galera.. calma! eu soh citei ele pq, de acordo com o exemplo q eu dei, o povo deixa d acreditar no mito q antes predonimava e passa a acreditar na explicaçao cientifica..e o fato deu te-lo citado n significa q eu concorde com o q ele diz.. na verdade eu sou mais pra criticar quem "eleva a ciencia como deusa da verdade" do q acreditar em tudo q a ciencia fala! e foi o comte q falou q 'a introdução da razao faz com q o mito seja destruido..quando se deixa d acreditar no mito mostra-se q o espirito tá amadurecendo'.. n! n fui eu! foi ele! eu sequer concordo mto com isso! foi soh pra melhorar o exemplo q eu dei da historinha da chuva lah...
(e a super eh a dos super poderes do cerebro sim.. c leu? moh massa!)
bem.. ok.. mals se eu escrevi algo q deu margem a mais d uma interpretação..falou

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker