« Home | Rotina » | Repensando a educação » | REGRAS, REGRAS E MAIS REGRAS » | Feche os olhos e acredite » | Quero Mais Brasil » | Hedonismo - Questão Social » | Hipocondria Ambiental » | Meu voto é nulo e eu não sabia! » | "O JURO CIVILIZADO" » | Política e o Coeficiente Eleitoral »

Diante da Lei

Decidi hoje não publicar nenhum texto meu. Li este texto há alguns anos e reli hoje visitando alguns artigos sobre direito. O texto chama-se "Diante da Lei" e o autor é Franz Kafka. Acho que vale a pena.
(Franz Kafka (Praga, 3 de Julho de 1883 — Viena, 3 de Junho de 1924) foi um escritor checo de língua alemã.)

Diante da lei
Franz Kafka

Diante da Lei está um guarda. Vem um homem do campo e pede para entrar na Lei. Mas o guarda diz-lhe que, por enquanto, não pode autorizar-lhe a entrada. O homem considera e pergunta depois se poderá entrar mais tarde. - "É possível" - diz o guarda. - "Mas não agora!". O guarda afasta-se então da porta da Lei, aberta como sempre, e o homem curva-se para olhar lá dentro. Ao ver tal, o guarda ri-se e diz: - "Se tanto te atrai, experimenta entrar, apesar da minha proibição. Contudo, repara: sou forte. E ainda assim sou o último dos guardas. De sala para sala estão guardas cada vez mais fortes, de tal modo que não posso sequer suportar o olhar do terceiro depois de mim".
O homem do campo não esperava tantas dificuldades. A Lei havia de ser acessível a toda a gente e sempre, pensa ele. Mas, ao olhar o guarda envolvido no seu casaco forrado de peles, o nariz agudo, a barba à tártaro, longa, delgada e negra, prefere esperar até que lhe seja concedida licença para entrar. O guarda dá-lhe uma banqueta e manda-o sentar ao pé da porta, um pouco desviado. Ali fica, dias e anos. Faz diversas diligências para entrar e com as suas súplicas acaba por cansar o guarda. Este faz-lhe, de vez em quando, pequenos interrogatórios, perguntando-lhe pela pátria e por muitas outras coisas, mas são perguntas lançadas com indiferença, à semelhança dos grandes senhores, no fim, acaba sempre por dizer que não pode ainda deixá-lo entrar.O homem, que se provera bem para a viagem, emprega todos os meios custosos para subornar o guarda. Esse aceita tudo mas diz sempre: - "Aceito apenas para que te convenças que nada omitiste".
Durante anos seguidos, quase ininterruptamente, o homem observa o guarda. Esquece os outros e aquele afigura-se-lhe o único obstáculo à entrada na Lei. Nos primeiros anos diz mal da sua sorte, em alto e bom som e depois, ao envelhecer, limita-se a resmungar entre dentes. Torna-se infantil, e como ao fim de tanto examinar o guarda durante anos lhe conhece até as pulgas das peles que ele veste, pede também às pulgas que o ajudem a demover o guarda. Por fim, enfraquece-lhe a vista e acaba por não saber se está escuro em seu redor ou se os olhos o enganam. Mas ainda apercebe, no meio da escuridão, um clarão que eternamente cintila por sobre a porta da Lei. Agora a morte está próxima.
Antes de morrer, acumulam-se na sua cabeça as experiências de tantos anos, que vão todas culminar numa pergunta que ainda não fez ao guarda. Faz-lhe um pequeno sinal, pois não pode mover o seu corpo já arrefecido. O guarda da porta tem de se inclinar até muito baixo porque a diferença de alturas acentuou-se ainda mais em detrimento do homem do campo. - "Que queres tu saber ainda?", pergunta o guarda. - "És insaciável". - "Se todos aspiram a Lei", disse o homem. - "Como é que, durante todos esses anos, ninguém mais, senão eu, pediu para entrar?". O guarda da porta, apercebendo-se de que o homem estava no fim, grita-lhe ao ouvido quase inerte: - "Aqui ninguém mais, senão tu, podia entrar, porque só para ti era feita esta porta. Agora vou-me embora e fecho-a". (Tradução de Torrieri Guimarães )

Eita ... isso vale ?! Cadê a publicação !? Não estão levando isso tão a sério hein !?

Bom, eu estou com uns projetos para a Parede. Deixa ficar mais concreto que eu divulgo pra vocês.

Marcelo, não desespera cara, a Parede não vai acabar. O importante é sempre manter movimento aqui. Acho que está todo mundo meio sem tempo, mas isso passa, é só aguardar um pouco.

vcs tem que escrever mais, vcs são bons, só precisa de mais dedicação e organização!

levo fé em vcs
abraços

Opa..henri ... interessante observação UEheueh vlw vlw =pp

Entao eu e o rafael tamo com uns projeto ai pra arruma isso aki ..
é so aguardar..

Volto a pedir desculpas por nao ter escrito meu texto desse mês, e espero poder contar com a compreensão dos colegas...

Carlos, o texto é bastante interessante... gostei

Então, já que está em pauta a questão da reforma da parede, vou dar uma idéia. Proponho que o sistema de coordenação das datas dos textos se flexibilizem da seguinte forma: como somos 6, cada um fica com um dia da semana (por exemplo: rafael às segundas, Eu às terças, Cadu às quartas e etc) e poderá enviar qualquer texto à parede em qualquer dia desse do mês. Assim, cada um teria em média 4 dias por mês para escrever na parede sem burlar a regra da mesma.

Outra proposta muito interessante é do marcelo, de sempre colocar uma enquete junto com cada texto. Até para termos maior noção do movimento que temos no site e conhecermos melhor nosso público.

Aguardo ansiosamente a apreciação de ambas.

Grato

É sao belas ideias.

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker