« Home | Nada de novo. » | Punição » | Por que Saddam morreu? Quem matou? » | Contagem Regressiva » | Beethoven: um gênio incansável » | Novo layout » | COMPRE TUDO À VISTA » | De olho nos gastos não-pecuniários » | Apreciando a beleza do silêncio » | Adaptação »

Por que o Brasil não cresce?

Num ambiente externo sem nenhuma grande crise, câmbio valorizado ante o dólar, recordes sucessivos de superávits na balança comerical, inflação sob controle, maior atração de investimentos estrangeiros, redução (mesmo que pífia) dos índices de desemprego e crescimento da maioria dos indicadores econômicos.Qualquer pessoa que estivessse em Marte nos últimos quatro anos e desembarcasse no Brasil em 2007 custaria acreditar que este foi o cenário fiel da economia de um país classificado como "nação em desenvolvimento".

Se em uma das pontas temos um cenário econômico bom, na outra ponta temos o eterno problema da economia: estar sempre aquém do esperado.A ressalva refere-s ea incapacidade de o País - mesmo inserido em um contexto estável, bem diferente da década de 90 - em crescer a taxas superiores a 3%.O "aquém do esperado" é consenso na opinião de dez entre dez especialistas da área.E as questões que ficam são sempre as mesmas: apesar de todos os bons indicadores, porque o Brasil não apresenta crescimento mais sustentado? É possível seguir os passos das hoje potências em desenvolvimento China e Índia e, literalmente, turbinar o PIB (Produto Interno Bruto) a taxas superiores a 10% nos próximos anos?Então, porquê, afinal, o Brasil simplesmente não cresce mais?

Hojé é de comum consenso também que, evidentemente, não há um fator que explique, mas vários.O maior deles é, com toda certeza, a nossa altíssima taxa básica de juro, que representa ao mesmo tempo, desestímulo ao capital privado e ao consumo.

A taxa básica de juro brasileira, conhecida como Selic, está atualmente fixada em 13,25% ,o que a coloca entre as maiores, se não a maior, de todo o planeta.Uma taxa tão alta torna qualquer empréstimo bancário, abertura de crediário ou mesmo a compra de um carro mais onerosos para os brasileiros, ao passo que, desestimula os investimentos mais pesados, já que os empresários e o próprio governo desembolsam muito mais verba para financiar seus projetos.

Outro inimigo forte no front de batalha para alavancar a economia é a nossa alta carga tributária que é cheia de distorções e injustiças.Qualquer crescimento, só é possível depois de passar por uma verdadeira reforma tributária.Atualmente, os impostos consomem 40% de todas as riquezas produzidas pelo Brasil e "os serviços prestados" para a população estão muito aquém disto.

Crescer de forma sustentada só se consegue através de avanços estruturais que garantam um cenário político mais propício aos investimentos e à ampliação da capacidade instalada da indústria.As empresas precisam de garantias a longo prazo, sobretudo no aspecto fiscal.

E, como não poderia ser diferente, outro forte inimigo que puxa o freio toda vez que "estamos por cima" é a buroracia.Esta, em todas as suas esferas, é um dos principais desafios para os gestores. O país precisa de um conjunto de minireformas para se tornar mais atrativo aos investimentos.Para se criar empregos é necessário dar oportunidade para a abertura de empresas, e isto está intimamente ligado a redução da burocracia.

Especialistas dizem que o crescimento a longo prazo necessita de investimentos, tecnologia e recursos humanos, três das áreas das quais o Brasil é, ainda, carente. O governo tem de investir mais e cortar os gastos públicos, criando assim condições favoráveis para tornar os investimentos mais rentáveis.

Mas não deve haver uma obsessão pelo crescimento a qualquer custo.É preciso ter cautela.Países como a China, cujos projetos comprometem o meio ambiente, e Índia,que mantém excluída 80% da população, podem até ter um crescimento fora do comum, mas quem "paga o pato" dessa obsessão, é o planeta.Mas isto é discussão para outro artigo.Para o Brasil, devemos criar o nosso próprio caminho, já que não achamos nenhum compátivel com a nossa "cara".

Ygor Coutinho Antunes, é colunista da DesignCenter e articulista do Parede de Banheiro.

o que voce quis dizer quando disse... ` desestimula os investimentos mais pesados`???
voce se refere à bolsa de valores??? ou puro e simplesmente investimentos nas empresas???

Desestimula a iniciativa privada, as empresas e também aqueles pequenos investimentos que eu ou você meros estudantes, no momento, podemos fazer.

Mais ou menos por ai...

nesse kso... vc axa q o dinheiro tem q ficar parado??? numa poupança ou numa conta fixa???

Seu próprio texto explica porque não concordo com toda sua argumentação.

Me refiro exatamente ao último parágrafo. Crescimento Econômico não é um fim em si, mas é um meio para se atingir determinado fim. Se tivermos em mente que fim é esse, veremos que determinadas formas de crescer são simplesmente inadequadas.

bom...
eu tb esqueci de perguntar...
que minireformas vc se refere???
nao entendi esse trecho...
uma correçao relevante tb... os impostos ocupam 45% da renda total...
" já que os empresários e o próprio governo desembolsam muito mais verba para financiar seus projetos."... se vc usou isso como critica como q vc faz "mini reformas" sem projetos???
sem projeto seu dinheiro eh jogado na loteria!!;;;

lendo isso....
fikei com vontade de ir no banhero..

vo lah..

flVV


AUHEUHAuiehaIUEHIUAHEIUAheuiAHEUIAHIUEHAIUEHAIUEHUIAHE

x)

Bom, gente acho que vcs nao enteneram o ponot ao qual me referi no texto.
o governo gasta demais e faz de menos...acho que esse eh o ponto have...as minireformas que me refiro sao as tributaria,fiscal,politica... entende...?? tipo assim..o governo desestimul as emrpesas estrangeiras a investir pois gasta mal o proprio dinheiro, este que todavia deveria ser invstido nas prioridades que o país necessita..

salgado: "...veremos que determinadas formas de crescer são simplesmente inadequadas. "
entao qr dizerque nd disso precisa ser feito para que o brasil cresca? do jeito que tu falou fico paecendo isso

leo: esse 'muito mais verba' eu quis dizer que sao tantos os poblemas de infraestrutura (portos, estradas,etc) e instabilidade economico (hj nem tanto) que quem invste acaba tendo quegastar mais... isso faz com quetorne inviave o inestimento..
ach q eh isso

shakan: Eiueaihaeiaheiuhaiaehi!

Não não... não foi isso que eu disse. Eu não disse que elas não dão certo (China, Índia e até o México me provam que elas dão certo sim), mas são inadequadas.

Aliás, na Índia talvez até funcione... aquele sistema de castas deles faz muita diferença nessa análise. O fato é que, entre crescer pouco e crescer daquele jeito, eu sou mais crescer pouco. Afinal, o que significa um crescimento de 15%/ano se o feijão ficar mais caro??

Semana que vem tem texto meu de novo... planejo falar dos problemas ambientais... talvez até chegue nesse ponto

seria...chakan



ps: axo q colokei comando certo :S

Soh.. tipo realmente.. eh algo bem contextualizado.. todo mundo sabe.. q pelo menos pra correr atras de uma evolução da sociedad tem d ter crescimento.. e Brasil tah atrasado nesse processo.. mas isso tbm naum ker dizer q os governos buscam essa evolução.. mas pelo menos cria condições.. para a consciencia coletiva..
[]'s

evolução da sociedade?????? ¬¬...

não entendi a relação da consciência coletiva com o resto...

uhauhauhauhauha...

AXO Q O TATAO TAVA COM ZAGUEIRO TB!!!

onde esse povo vai parar!!!

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker