« Home | De olho nos gastos não-pecuniários » | Apreciando a beleza do silêncio » | Adaptação » | Novo Articulista » | Soneto da (In)felicidade » | Proteger com ressalvas » | Escrevo enquanto o Brasil joga na televisão. Escre... » | O(s) Problema(s) da Constituição » | Oito anos » | Mero produto ou agente incapaz? »

COMPRE TUDO À VISTA

Primeiramente, gostaria de me desculpar aos integrantes e frequentadores da parede de banheiro por 2 furos consecutivos de postagens... e gostaria de me desculpar dessa vez, mesmo estando de "férias" estar atrasando a postagem...

Esse texto poderia ser publicado antes do dia 24, pois visa compras, uma coisa um tanto quanto normal nessa época do ano. Mas por outros motivos, acabei postando hoje mesmo...

Sem mais, começarei agora...

COMPRE TUDO À VISTA

No primeiro período do meu curso de administração, tive como matéria obrigatória ADM 110 – Contabilidade, onde aprendemos a fazer lançamentos financeiros para elaborar o balanço patrimonial de uma empresa. Em certa parte da matéria, estávamos fazendo lançamentos diários para compras a prazo, que pessoalmente eu acho uma grande porcaria, e descobri que não era só eu que achava isso quando um parceiro de sala, GORDO, falou a seguinte frase depois de uma indagação minha reclamando da matéria: ‘Mas que MERDA, porque não paga tudo à vista?’. A primeira vista, apenas mais um GRANDE comentário de GORDO na sala, mas analisando bem a situação, e estudando matemática financeira, pode-se ver que isso foi realmente um GRANDE comentário.
Começando pelo ponto de vista “contábil”, seria muito mais fácil para um contador fazer apenas lançamentos de compras à vista, não tendo que quitar inúmeras vezes parcelas de um mesmo produto em planilhas diferentes.
Mas não é apenas por aí, analisando agora o lado financeiro da situação, quando compramos um produto à prazo, pagamos juros por esse produto, ou seja, pagamos mais para adquirir o mesmo produto de uma pessoa que o adquiriu à vista, e muitas vezes esse valor é ainda maior do que imaginamos. Por exemplo, quando você adquire um produto em 12 prestações mensais com juros de 3% ao mês, enquanto muitos pensam que você está pagando 36% a mais do preço (o que já é considerável), na verdade você está pagando 42,576% a mais pelo produto. E normalmente quando adquirimos produtos com essa quantidade de parcelas, é um produto que tem um valor alto.
Muitas pessoas acham maçante o trabalho, talvez pelo fato de ter o prazer antes de trabalhar. Como assim? Se você compra um produto a prazo, você irá desfrutar do uso do bem antes de terminar de pagá-lo, portanto, você estará trabalhando para quitar a sua dívida. Se você adquirir todos os bens à vista, você primeiro irá trabalhar para depois ter o uso do bem, ou seja, você trabalha primeiro e tem prazer depois, ao contrário de comprar à prazo, que você primeiro tem o prazer e depois trabalha. Isso poderia ser comparado a, por exemplo, comer em um restaurante que você está acostumado e depois experimentar um melhor ainda, a sensação é boa, agora se você está acostumado a comer nesse segundo e depois for no primeiro para ‘variar’, a sensação será ruim.
O papo de ‘só consigo comprar se for a prazo’ não cola mais. Se um consumidor consegue quitar as dívidas a prazo, consegue também quitar à vista, basta guardar o dinheiro das prestações mensalmente e no fim de menos tempo do que seria necessário para acabar de pagar todas as prestações, já estaria com dinheiro suficiente para adquirir o produto, e melhor, no mesmo prazo das prestações teria dinheiro para adquirir mais produtos.
Essa análise para o ponto de vista do indivíduo, para empresas são outros casos, com outros estudos, e outros cálculos que serão citados em outra oportunidade.

Se todos pagassem a vista, seria uma beleza. O problema das prestações é que quem opta por elas acaba se esquecendo delas e se afundando cada vez mais em dívidas. Experiência própria.

Bom, na verdade nem tudo vale a pena comprar a vista. Por exemplo, se você compra com juros menores do que o rendimento suas aplicações e seus investimentos, compre a prazo que é mais negócio, já que, se você gastar a grana toda a vista, não vai ter nenhum rendimento sobre ela, e se mantiver a prazo, vai até ter que pagar os juros, mas como seus rendimentos serão maiores no mesmo período com a grana aplicada, você lucra com isso (ainda que menos do que lucraria se nao mobilizasse o dinheiro). Mas acho que isso só é relevante pra quantias altas, com as quais a maioria das pessoas não se importa (você se importa né Leo, só mexe com grana alta.. eahueah)

começando com o fato de que esses estudos são aplicados principalmente à empresas... e portanto no fim do texto eu me dirigi a palavra ao individuo... concordo plenamente com você... tirando a parte entre parenteses... huahuahuahuahuahu
mas fico feliz de saber que você sabe lidar com o que tem... pq mexer com o tanto de dinheiro que você mexe precisa realmente saber o que eh mais rentavel!!!
ahuahuhuahuahuahuahuahuhua
abração

huaehea.. quem que é o patrão da turma? todo mundo sabe.. haeuhea..

o q tem piscina em ksa!!!
ahuahuahuahuhuahuahuahuahu

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker