« Home | Baboseiras aleatórias » | QUEBRA-CABEÇAS - Do longo capítulo dos amores. » | Sobe, desce ( V ) » | sobe, desce (a) » | Copa do Mundo 2014. Sede? Brasil! » | Sobe, desce (3) » | Metafísica Flamenguista » | Mascote » | Sobe, desce (2) » | O samba morreu? »

Excesso de igualdade

Já faz um bom tempo que palavras minhas não ocupam estas paredes. Obviamente faltou um pouco de dedicação, faltou tempo disponível, faltaram idéias mas, principalmente, faltou algo novo para ser trazido a vocês.
Não que tenha acontecido poucas coisas comigo ou que eu tenha caído em uma avassaladora e interminável rotina. O que me parece é que as coisas simplesmente insistem em continuar da mesma forma. Nada parece novo, nada muda suas formas, tudo mantém sua cansativa forma.


Começa-se mais um ano, esperançosamente esperamos pelas mesmas coisas, dedicamos os mesmos vazios sentimentos e bens para, provavelmente, as mesmas pessoas.
Estas cabeças que andam por aí parecem não ter mudado, o tempo não passa de um ator coadjuvante trazendo anos que passam costumeiramente uns seguidos por outros...

Talvez eu tenha envelhecido muito nos últimos meses ou talvez esteja apenas de saco cheio de uma porção de coisas. De fato, tenho que agüentar mais um big brother, mais uma vez as chuvas inundaram regiões que não receberam devida atenção, mais uma série de chatas músicas de carnaval começam a surgir, um monte de reportagens sobre os perigos do verão bombardeiam minha cabeça, depois vem a quaresma e as discussões a respeito de se comer ou não carne em certos dias, a páscoa traz consigo a tentativa de se resgatar o seu verdadeiro sentido, mais uma festa do milho com seus mesmos cantores, chega em seguida mais um fim de semestre corrido e outras férias.

Provavelmente o próximo fim de ano virá da mesma forma, depois de alguns meses de mesmice haverá a discussão em torno do horário de verão, alguns feriados que não representam nada, um fim de ano de muita festa, de compras e compras, de nova tentativa de se encontrar sentido que não o comercial para mais uma celebração e muda-se outro ano...


Uma passagem tão rápido esquece de tratar uma porção de discussões sobre juizes ladrões, deixa de lado casos memoráveis de crueldade e um tremendo sensacionalismo, deixa de trazer a tona novos escândalos de corrupção, ignora guerras pelo mundo, especulações de moedas, eleições movimentando milhões, filmes de atrizes nacionais decadentes e faz com que o leitor ache um completo exagero aquilo que tratei.

De qualquer maneira, faz bem estar nos primeiros dias do ano com uma sensação de bem-estar e com confiança para encarar todo um ano pela frente. Diante disso, deixemos de lado a discussão, prossigamos nossas vidas sem pensar muito nelas mesmas e nossos caminhos. Busquemos todos um refúgio para nossas aflições e temores e continuemos silenciosamente por mais um ano.

Grande texto Marcelo!!! Grande texto!!!

Curti muito!!!



"Eu devia estar contente
Por ter conseguido
Tudo o que eu quis
Mas confesso abestalhado
Que eu estou decepcionado...

Porque foi tão fácil conseguir
E agora eu me pergunto "e daí?"
Eu tenho uma porção
De coisas grandes prá conquistar
E eu não posso ficar aí parado..."

É ... até as queixas são as mesmas, desde Raul nos distantes anos 70 ... Abraços

ééé marcelao...
axo q tem gente q jah ta com saco cheio das ferias!!! auauhuhahuahua

grande abraço a todos os membros
e adianto que logo mais estarei postando textos... estou sem internet... podendo usar somente a da empresa... mas em breve estarei colocando palavras minhas nesse lugar que a um bom tempo eu nao passava nem o olho direito!!!


e é claro... o mais importante...

apesar de parecer que vc esta realmente de saco cheio da vida... o texto ficou muito bom marcelao... nao discordo com absolutamente nada do que vc disse ai!!!

no mais fico por aqui...
ateh

Leozão, a questão não é que minha vida aqui esteja parada, um saco, monotona ou algo assim. O problema é que tudo que está externo a ela não modifica, tenho 19 anos e parece que desde quando venho acompanhando superficialente os acontecimentos eles se mantém. O último parágrafo já foi uma crítica mais para as pessoas que mantém o ambiente externo assim, mal pensam em si mesmas, mal avaliam tudo em sua vida (eu tenho dificuldades em fazer isso), etc. Dentro disso, mal pensando nelas mesmas, como poderiam reparar nos fatos iguais de cada ano ou mais ainda, como mudá-los ?!
Abraço a todos...

Muito bom seu blog. Mantenha assiduidade, please. Por enquanto, colhi oportuna foto sobre o fascismo, inserida num elucidativo e isento approuch.
Confira em www.allmirante.blogspot.com
Fraterno abraço.
ALL Cesar DR

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker