« Home | Inaugurada a parede de banheiro »

Nós queremos você!


Desde a queda da ditadura militar em 1964, diz-se do Brasil um país democrático. Ser um país democrático significa, ou pelo menos deveria significar, que os cidadãos têm a liberdade de escolher os rumos que querem dar a suas vidas e ao seu país. Isso é antitético com o nosso sistema de serviço militar, que nos obriga a servir militarmente a pátria, ainda que essa não seja, em muitos casos, nossa vontade. Em vários lugares essa realidade já foi mudada, por que não efetivar tal mudança por aqui?

Todo e qualquer cidadão brasileiro, homem, que completa dezoito anos, é obrigado a alistar-se no serviço militar. Na maioria das vezes há excesso de contingente, e apenas os que querem realmente fazer parte das forças armadas é que são convocados a servir. Entretanto, o que incomoda não é o serviço militar em si. É o "obrigatório" da expressão "serviço militar obrigatório". Muitos pregam veementemente que o absolutismo, a ditadura e o autoritarismo político já não nos perturbam mais, contudo os resquícios de despotismo sobrevivem até os dias de hoje. Ou um governo que obriga seus cidadãos a fazerem algo que estes não desejam não pode ser considerado despótico?

Na esmagadora maioria dos países da Europa, aonde os hororres da guerra mais se fizeram presentes ao longo da história, o serviço militar é facultativo em tempos de paz. E não só no velho mundo isso ocorre: em quase todos os países considerados desenvolvidos atualmente, o serviço militar facultativo se faz regra. Até na Argentina, um país, hoje, muito mais atrasado do que o Brasil em vários aspectos, o ministério da defesa desobriga os cidadãos de servir militarmente a pátria.

Os reacionários de plantão logo diriam sobre o assunto: "É necessária a manutenção de um exército permanente para defender fronteiras." Sem dúvida. Mas esse exército continuaria a existir mesmo com o serviço militar opcional. O salário pago pelas forças armadas atrái muita gente que não pode contar com outras fontes de renda. Isso já serve para garantir um vasto contingente de pessoas que servem por opção própria.

Antes de pensarmos em defender nossas fronteiras, deveriamos reorganizar nossa ordem interna. Isso passa por uma revisão do assunto, que ainda não foi feita por quem escolhemos para nos representar. Quem sabe ainda poderemos ver um dia, um Brasil realmente livre e democrático, aonde ninguém seria obrigado a fazer nada que não queira?

Blog show!
De opinião sensata, e, desculpa o palavrão, muito foda! uaehaeuahaeu
Parabens!
xD

Blog show!
De opinião sensata, e, desculpa o palavrão, muito foda! uaehaeuahaeu
Parabens!
xD

Rafael, eu já te disse e volto a repetir, você é uma pessoa de opiniao muito forte a gente discorda de vez em quando, mas sua explicação foi simplesmente perfeita sou 100% a favor de você neste exato momento!!!
boa sorte com o blog!

O servico militar obrigatorio nada tem a ver com a democracia, sendo apenas parte dos seus deveres.
A Suica, democracia mais antiga do mundo e que nao peticipa de um conflito armado a seculos, tem servico militar obrigatorio e ninguem eh dispensado por excesso de contingente.
Nao que eu seja a favor do servico militar obrigatorio (eu nao sou), mas isso nao tem nada a ver com democracia tanto quanto pagar impostos (que sao obrigatorios tambem).
A simples possibilidade de uma lei ser votada pelos representantes escolhidos pela populacao e acabar ou nao com o servico militar obrigatorio ja constitui quase plenamente a democracia.
Sem querer ofender, mas isso parece revolta infundada.

Abracos...

Bis Andino (do frango misterioso)

Bom, o imposto é justificável, é ele que mantém a máquina estatal funcionando. Já o serviço militar não é essencial como a tributação, ao menos em tempos de paz, e eu considero sua obrigatoriedade um autoritarismo sem medidas.

Um outro ponto de vista:
Por que o servico nao eh necessario em tempos de paz?
Em tempos de guerra ele eh inutil, ja que no tempo que se leva para treinar um soldado o pais ja foi facilmente invadido e dominado.
O recrutamento obrigatorio isso sim eh um abuso de poder, por te forcar a ir para a guerra.
No caso dos impostos, sim, eles mantem a maquina governamental funcionando, e o servico militar eh "necessario" para manter a protecao do pais.

E como ja disse, voce pode mudar a lei e abolir o servico militar obrigatorio, por isso ele nao eh nem um pouco anti-democratico.

Ah, e falando novamente dos tempos de paz:

"Igitur qui desiderat pacem, praeparet bellum." ('Se desejas paz, prepare-se para a guerra' - Flavius Vegetius, Epitoma Rei Militaris, 400 BC)

"In peace prepare for war, in war prepare for peace." (Sun Tzu, em A Arte da Guerra)

Essas duas maximas sao conhecidas e seguidas por praticamente quanquer general ou governante decente no mundo.

A Suica nao foi invadida durante a segunda guerra mundial (a Alemanha tinha planos de invadi-la para proteger as rotas de transporte atraves dos Alpes) por que, apesar de seculos de paz, sempre manteve um exercito de prontidao.

Mas, como eu disse, isso eh soh a minha opiniao :)

Concordo com meu colega de banheiro.

Não creio que seja necessária a obrigatoriedade do serviço militar para que se defenda um país. Ainda mais no caso do Brasil, infestado pelo desemprego.

O fato da Suíça manter um exército de primeira qualidade e de ter o serviço militar como obrigatório é pura consequência de fatores históricos que envolvem o povo europeu como um todo. Assim como a tradição, a cultura suíça particularmente explica o fato de que, ainda assim, não se envolvam em conflitos. São casos diferentes.

Nota-se também, que, se um país entra em guerra, deve-se verificar se a opção pela guerra foi democrática. Mas isso é outra discussão.

Até!

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker