« Home | Por que Saddam morreu? Quem matou? » | Contagem Regressiva » | Beethoven: um gênio incansável » | Novo layout » | COMPRE TUDO À VISTA » | De olho nos gastos não-pecuniários » | Apreciando a beleza do silêncio » | Adaptação » | Novo Articulista » | Soneto da (In)felicidade »

Punição

Algum leitor do NOL já deve ter visto uma reclamação minha parecida em meu post relativo ao vídeo do PCC. Minha opinião, porém, não é parecida, é a mesma.

Eu estava "zapeando" os canais durante a madrugada, tentando combater minha insana insonia, quando eu paro no canal do SBT, onde estava passando as notícias. Uma notícia em particular me chamou a atenção. Eu não lembro direito os detalhes, de onde foi ou quando foi, mas lembro o fato. Devido a um mal-entendido, uma garotinha de 4 anos foi levada na viatura da polícia por ter jogado uma pedra no amigo da mesma idade. Tinham falado para os pais do menino que foi um homem que o agrediu, então chamaram a polícia. Na hora que vi isso eu comecei a rir. Digo, imagine a cena, uma pivete de 4 anos sendo levada num carro de polícia. Logo depois dessa notícia relativamente engraçada, o jornal exibe outra notícia, uma que imediatamente ativou meu sensor de merdas faladas. As autoridades internacionais estão dizendo que nossos policiais são opressoras, que humilham e pressionam presidiários para forçarem a vazarem informações e que não respeitam os direitos humanos. Por favor.

Permaneço. Prisão não é hotel, prisão é punição. Quem tá lá é para se ferrar, para cumprir pena pelo crime que cometeu. A situação é a mesma quando o PCC aterrorizou a cidade de São Paulo, eles acabaram por seqüestrar um repórter da Globo, e lançaram um vídeo falando para fazer melhorias no sistema carcerário, pois os prisioneiros se sentiam oprimidos. É que nem um cliente não querer pagar sua prostituta pois o sexo não foi bom. Eles pensam que tem todo o direito de interferir no sistema penal do Brasil (e aparentemente conseguem, com "indultos", a melhor merda que já estabeleceram no Brasil), mas não, eles simplesmente perdem a chance de calar a boca. Você mereceu, cale a boca. Queria que os guardas falassem o que, "você está se sentindo bem, senhor estuprador?" Quanto aos indultos, uma coisa inaceitável. Eles abrem as portas das prisões para os criminosos visitarem suas famílias nos feriados. Bem, bela merda, pensasse duas vezes antes de cometer o crime e sacrificar o bem-estar de sua família.

Bem-estar. Essa palavra é bem interessante por sinal. Ao invés de procurar emprego ou participar de uma das milhares campanhas contra a pobreza que existem no mundo, morar em albergues, qualquer coisa, não. O jeito mais rápido é a esmola e o crime. E com isso, o nosso bem-estar é afetado. Como Carlos Nascimento disse semelhantemente no próprio jornal, estão preocupados com os direitos humanos dos criminosos que são humilhados, mas se esquecem dos direitos humanos de uma família que é incendiada durante um roubo. Incrível, eu adoro esse mundo.

Agora, vem a parte da hipocrisia. Nossos policiais são opressores e violentamente ruins. Mas toda hora vemos na TV a imagem dos policiais dos EUA são os fodões, os implacáveis, o "Shaft". Agora, não tenho nada contra o filme "Shaft", muito menos com Samuel L. Jackson (pois ele é um dos 7 caras mais fodas do mundo) e eu sei que é uma ficção. Mas essa ficção é a imagem que os EUA querem passar. Tem outros seriados policiais bons que tem a mesma imagem, como "Third Watch" e, sei lá, "Starsky & Hutch". Eu adoro esses seriados, mas a imagem de foderosos deles não tem problema, mas a nossa tem? Ops, espere um momento. Nós somos povinho de terceiro mundo, esqueci.

Mas a nossa polícia é tão apoiada que mal consegue combater uma onda de crime organizado por estar mal-preparada belicamente e oprimida moralmente, mas é boa o suficiente para apreender uma garota de 4 anos que jogou uma pedra no coleguinha.

Cara, diga o que disser, o fato é que a polícia brasileira muitas vezes é sim opressora e viola cotidianamente os direitos humanos dos presidiários. Se um homem mata 20 crianças, ele ainda é um homem e merece ser tratado como tal.

Claro, não acho que prisões devam ser hotéis. Concordo que o sistema carcerário brasileiro é uma bela porcaria, mas não por excesso de "regalias" dos presos.

Vários pontos do texto me deixaram indignado pelo modo como o autor trata os presidiários. Escolhi um que eu pudesse explorar melhor.
"Eles pensam que tem todo o direito de interferir no sistema penal do Brasil (e aparentemente conseguem, com 'indultos', a melhor merda que já estabeleceram no Brasil), mas não, eles simplesmente perdem a chance de calar a boca. Você mereceu, cale a boca. Queria que os guardas falassem o que, 'você está se sentindo bem, senhor estuprador?'"

1. Eles tem tanto direito de opinar quanto eu, você ou o presidente. Somos todos cidadãos brasileiros.
2. Eles não devem calar a boca. Se eu pudesse aconselhá-los, diria-lhes para não se calarem. Eles são diariamente desrespeitados, não são obrigados a passar por muito do que passam.
3. Acredite, já estabeleceram muita coisa pior que "indultos" no Brasil.
4. Já disse acima, prisões não são (ao menos, não deveriam ser) hotéis. Os guardas não deveriam dizer "você está se sentindo bem, senhor estuprador?", mas muito menos tratá-los com o desrespeito que muitas vezes tratam.

E mais, não é qualquer preso que é bem tratado numa prisão. A questão é: o que faz com que uns sejam bem tratados e outros não? A resposta é simples: uns têm força para tal, outros não. Não se trata apenas de desrespeito dos guardas para com os presos. Se analisarmos as estruturas de autoridade dentro de um presídio veremos que muitas vezes os guardas não mandam muita coisa.

Enfim, as coisas não são tão simples assim...

E não é mesmo. Quando avaliamnos o sistema penitenciário brasileiro, devemos dispensar a peremptoriedade como método para analisarmos com justeza. É bastante simples, sentenciarmos que presos devem sofrer nos presídios por terem merecido aquilo. Logo, deveríamos instituir a pena de morte. Errado. A pena de morte nada mais é que um subterfúgio para esconder um sistema punitivo fraco. Os presídios devem servir para reabilitar os contraventores ao regime social. Alguns realmente desejam e necessitam esse tratamento. E para aqueles que não o querem, permaneçam presos. "Ah não!" me diriam, "Não é justo quem paga pelo preso é a sociedade!" Passemos então a uma análise dos custos que a sociedade sofre. Pagamos os impostos como IPVA para andarmos em estradas sem asfalto, imposto de renda por que não temos o direto de gastar tudo o que ganhamos, dentre outros encargos. No entanto, eu acho mais justo que a sociedade pague pelo criminoso na cadeia do que muitos desses impostos, pois o criminoso, esse que vai preso, não nasceu assim. A culpa é minha e sua.

Como diria nosso amigo Willer: "boto fé". Mas acho que existem maneiras de se aproveitar melhor o tempo livre dos presos de forma a reduzir o custo que a sociedade teria com a manutenção dos mesmos. Inclusive, confesso que há algum tempo comecei a cogitar inclusive a privatização do sistema penitenciário. Não me posiciono a respeito por enquanto, mas é uma idéia a ser avaliada.

bom... vou fazer meu comentario parte a parte...

"...sensor de merdas faladas. As autoridades internacionais estão dizendo que nossos policiais são opressoras, que humilham e pressionam presidiários para forçarem a vazarem informações e que não respeitam os direitos humanos. Por favor."

bom... sugerindo que esse parágrafo é seguido de: "Permaneço. Prisão não é hotel, prisão é punição. Quem tá lá é para se ferrar..."

a menos que eu tenha entendido errado... você quis dizer que a policia está mais do que correta em humilhar e pressionar o cidadão para vazar informações.
Eu concordo com o salgado... isso num tá certo não...
assim como o próprio policial, o presidiário antes de tudo é cidadão.
tirando o fato de que algumas vezes estão pressionando a pessoa errada... eu já vi reportagens de pessoas que passaram por essa humilhação sem ter motivo... e que inventaram historias para parar de apanhar... é justo isso???

"Eles pensam que tem todo o direito de interferir no sistema penal do Brasil (e aparentemente conseguem, com "indultos", a melhor merda que já estabeleceram no Brasil), mas não, eles simplesmente perdem a chance de calar a boca. Você mereceu, cale a boca. Queria que os guardas falassem o que, "você está se sentindo bem, senhor estuprador?" "

Cara, lógico, a pessoa não pode interferir no sistema penal... mas axo que o que ele fez nao foi interferir... ele expressou sua opinião... cabe a quem governa decidir se isso é ou não plausível...

"...estão preocupados com os direitos humanos dos criminosos que são humilhados, mas se esquecem dos direitos humanos de uma família que é incendiada durante um roubo. "

nesse caso o erro é de quem??? lógico que tem que haver preocupação para com as "vítimas"... mas nem por isso é preciso esquecer do criminoso... o fato de ele ter errado...tendo a intençao ou nao... cabe a punição sem que sejam feridos os direitos humanos... antes de tudo ele ainda é cidadão...

finalizando...
o sistema carcerário brasileiro, de fato, deixa a desejar...
a cadeia é conhecida por escola do crime... fui em milhares de palestras que falaram isso já... e isso eu concordo...
mas isso, eu acredito, que aconteça pela falta de recursos dentro de uma cadeia...
você é preso... humilhado... fika revoltado... "faz amizade" com outros presidiários revoltados... começa a troca de ideias... FUDEU!!!
e não é só isso...
no livro "carandiru" que o drauzio varela conviveu com os presos... da pra notar que o esquema lá dentro é muito mais organizado q os esquema aqui fora...
os presos tem "chefes" e regras... e nessas regras o respeito é fundamental... a menos que eu tenha entendido errado...

bom axo que eu já falei demais... no mais eh só...

Postar um comentário

Links to this post

Criar um link

Powered by Blogger
& Blogger Templates




eXTReMe Tracker